top of page

Pílula Mirabolante #2: inibidores de sonhos (e seus antídotos)

Atualizado: 9 de jan.

Bom dia, queridos! Como vão? 

Fiquei bem feliz com o retorno sobre a última pílula mirabolante, na qual abordamos a importância e a potência de sonhar (e se comprometer) grande. 

Como disse Dan Pallotta: "um sonho levado a sério, é a ferramenta mais sofisticada da humanidade".  Mas tão ou mais importante do que refletir sobre o que potencializa sonhos é entender o que nos impede de levá-los adiante.

Entre os vários inibidores de sonhos, há um não muito óbvio e bem sutil que aprendi com a Sheena Lyengar - e que todo agente de disrupção precisa ter consciência: nosso péssimo hábito de “escolher não escolher", diante de decisões complexas.



Explico neste texto que escrevi em outra época, mas que aborda de forma leve e rápida não só este fenômeno, como outro bem comum na nossa era de super estímulo - e que muitas vezes pode nos impedir até de sonhar:

>>> A Prisão de Mente (3 minutos de leitura)

E vocês? Já sentiram esta paralisia, diante de tanta informação, desejos e aprendizados? Lembram de algum momento em que, diante de tanta complexidade, vocês e/ou outras pessoas da sua organização "escolheram não escolher" - e, achando que estavam postergando a decisão, na prática, decidiram não seguir?

Pois com esta pílula, espero que fiquem mais atentos a este tipo de comportamento, evitando reproduzí-lo de forma inconsciente. Por aqui, essa lembrança simples já salvou alguns projetos mirabolantes 

E para fechar com chave de ouro... 

uma dica muito eficaz contra prisão de mente, que não existia na época que escrevi o texto acima: 

>>>> ChatGPT. Sei que já o conhecem, mas não deixem de incorporá-lo no seu dia a dia!

As respostas dele não serão perfeitas, mas uma excelente (e muitas vezes, surpreendente) base para você evoluir qualquer texto/tema/resposta. QUALQUER mesmo. Não paro de me impressionar. Depois me contem ;-)

Por hoje, é isso. 

Bjs e ótimo fim de semana! 

1 visualização

Comments


bottom of page